Problemas Psicológicos

 

Portugueses são europeus com mais problemas psicológicos

 

Os portugueses são os europeus que mais sofrem com problemas do foro psicológico, num país onde existe dificuldade de acesso aos cuidados de saúde mental.

 

Os portugueses são os europeus que mais sofrem com problemas psicológicos, revela um estudo da Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade Nova de Lisboa, apresentado esta terça-feira.

Segundo este estudo há 23 por cento de portugueses que sofrem de ansiedade ou depressão, uma conclusão que é considerada como surpreendente, uma vez que a prevalência destes casos em países do sul da Europa é de cerca de dez por cento.

«É uma surpresa desagradável», explicou o professor Caldas de Almeida, que também se mostrou preocupado com o acesso dos portugueses aos serviços de saúde nesta área.

O director desta faculdade indicou ainda que pouco mais de 30 por cento daqueles que têm problemas mais graves a nível psicológico não tiveram contacto com estes serviços de saúde.

O também coordenador nacional para a Saúde Mental que «o número de pessoas que tiveram contacto com os serviços de saúde mental especializados é modesto».

«Entre o início das queixas e a procura dos serviços há um período muito grande, a mediana é de quatro a cinco anos, na maior parte das situações», acrescentou.

Para Caldas de Almeida, em Portugal existe uma «exigência muito grande às pessoas mais vulneráveis e um encostar à parede às pessoas que têm de mostrar performance».

Este professor lamentou ainda perante esta situação «não tenhamos os lados bons ou suficientes lados bons que é mais serviços, mais mecanismos sociais».

Segundo o primeiro estudo sobre doenças psicológicas em Portugal, mais de 16 por cento dos portugueses sofre de ansiedade e cerca de oito por cento tem perturbações depressivas.

 

Uma reportagem de João Francisco Guerreiro com as declarações de Caldas de Almeida sobre um estudo sobre doenças psicológicas publicada no dia 23 de Março de 2010 no site http://www.tsf.pt.